sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Poesia - Selva


Eu fui à selva
Cheio de medo
Deitei-me na relva
Mas ainda era cedo
De repente vi um rochedo
E estava a tremer
Estava com medo
Mas era um menino a ler

Ele deu-me um envelope
Não sei porquê
Mas dizia STOP.

Vinha um tigre atrás de mim
Tenho que dizer
Mas isto chegou ao fim.
Olavo Marques

Sem comentários:

Enviar um comentário